Facebook

Blog Mensagem de Natal do Patriarca da Igreja Ortodoxa Sérvia Irineu


Igreja Ortodoxa Sérvia aos seus filhos espirituais na Natividade do ano de 2015

Mensagem de Natal do Patriarca da Igreja Ortodoxa Sérvia Irineu

IRINEU
Pela misericórdia de Deus
Arcebispo Ortodoxo de Pec, Metropolita de Belgrado e Karlovac,
e Patriarca da Sérvia, junto com todos os Pontífices da Igreja Ortodoxa Sérvia
aos sacerdotes, monges e todos os filhos e filhas de nossa Santa Igreja:
Esteja com vocês a graça, a misericórdia e a paz de Deus Pai,
de Nosso Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo
com a alegre saudação de Natal:

A PAZ DE DEUS! CRISTO NASCEU!

“Cantai ao Senhor, bendizei Seu Nome;
Anunciai diariamente Sua salvação.
Proclamai entre as nações Sua glória,
Por todos os povos Suas maravilhas”
(Salmo 96, 2-3)

Com estas palavras, irmãos e irmãs em Cristo Nosso Senhor e nossos queridos filhos espirituais, o santo Rei Davi nos convida a este dia de celebração festiva, preparado pelo próprio Senhor através de Seu nascimento pela Virgem Maria em uma caverna em Belém. Há dois mil anos, a Santíssima Virgem Maria veio a Belém da Judeia junto com o Justo José para ser registrada. O registro de José entre seus irmãos e familiares serviu ao plano da salvação e ao cumprimento da profecia do profeta Miqueias: “Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em Israel, e cujos passos são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (Miqueias 5:2)
Neste dia cumpriu-se a profecia mencionada. Pois a Santíssima Virgem deu à luz em Belém da Judeia Àquele “cujos passos são imemoriais, desde a eternidade”, Deus, o Verbo (Logos), Que milagrosamente se encarnou na Santíssima Virgem Maria e nasceu na Cidade de Davi. Vendo esse milagre, nunca antes visto, os anjos no céu tremeram! O céu com a estrela no Oriente e a terra com a caverna em Belém fizeram o mesmo! E nós, como disse o rei Davi, cantamos ao Senhor, nosso Deus, bendizemos Seu Nome sempre e incessantemente a todos. Anunciamos Sua salvação a todos os povos que estão conosco e ao nosso redor, tornamos conhecida a Sua glória e Seus milagres maravilhosos, Sua glória que não se pode comparar a nenhuma outra glória deste mundo e estes incríveis milagres que olhos humanos nunca antes haviam visto e a mente humana não pode explicar!
O nascimento do Senhor Jesus Cristo é um acontecimento histórico que alegrou ao céu e à terra, mas também incomodou muitos em Israel e no Império Romano. Os anjos e os pastores O glorificaram em Belém; os Sábios (Magos) do Oriente, seguindo a estrela guia, viajaram a Jerusalém. Mas Herodes e toda Jerusalém se assustaram quando ouviram dos Sábios a pergunta: “Onde está o Rei dos Judeus que nasceu?” (Mt 2:2). A terra e o céu se alegraram em seu Salvador, mas Herodes e toda Jerusalém temeram seu Justo Juiz. Deus, o Verbo (Logos) – a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, o sempiterno Filho de Deus – encarnou-se e nasceu no tempo como o Deus-Homem Jesus Cristo, para salvar ao homem: Seu ícone, Sua imagem viva! Esta é a essência e o significado deste acontecimento histórico e desta festividade. Mas também traz consigo outra mensagem, que faz referência à humanidade. Trata-se de uma mensagem sobre a grandeza, a sublimidade e a consagração da humanidade. Uma mensagem sobre porque o próprio Deus se humilhou ao nascer em uma caverna em Belém. Por outro lado, esta festa nos dá testemunho do amor infinito de Deus pela humanidade e pelo mundo. Deus, caros irmãos, irmãs e filhos espirituais, nunca abandona ou rechaça o homem – Seu ícone – e nem este mundo, que ele sabiamente criou, assim como também não os deixa sem Sua misericórdia e Sua bondade. Ele sempre sustém o mundo na palma de Sua mão porque é o Senhor Todo Poderoso; Ele o renova e o salva porque Ele é o Salvador. Esta é a maior e mais sublime mensagem, não apenas desta festa de Natal, mas também de todas as festas dedicadas ao Nosso Senhor e portadoras da salvação.

No Antigo Testamento, o grande e santo profeta Isaías já falava sobre o nascimento de Emanuel – Aquele cujo nome significa Deus está conosco: “Eis que uma Virgem conceberá e dará à luz um Filho, e seu nome será Emanuel” (Isaías 7, 14) e como se ele mesmo fosse testemunha deste evento misterioso, acrescenta: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9: 6). O nascimento de cada criança é, em si mesmo, uma grande alegria, mas quanto nos alegramos devido ao nascimento do Divino Menino Emanuel, Jesus Cristo, Que é verdadeiramente Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e o Príncipe da Paz! Sabendo disto, queridos filhos espirituais, alegremo-nos e regozijemo-nos, assim como os anjos no céu e os pastores regozijaram-se e alegraram-se, cantando: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra, boa vontade para com os homens! (Lc 2, 14) porque Deus está conosco!

Hoje, mais do que nunca, necessitamos de paz na terra e boa vontade para com os homens e as nações! Paz na terra e boa vontade para com os homens é o eterno grito do céu e da terra. Que paz, que vontade e entre quais homens? – alguém perguntará. Então respondemos de acordo com o Evangelho: a Divina e Natalina Paz, que nasceu para nós em Belém da Judeia – o Divino Menino recém-nascido Jesus Cristo. Ele é a Paz de Deus entre nós. Devemos saudá-lo, aceitá-lo e permitir, em meio a este mundo turbulento, que Ele se converta em nossa Paz! A boa vontade para com os homens deve ser o resultado daquela Paz divina. A falta de boa vontade no mundo, inclusive entre nós cristãos, indica a ausência da Paz de Deus entre nós. Para termos paz, primeiramente devemos estabelecer uma paz pessoal com nosso próprio Deus – nosso Deus! Devemos nos reconciliar com Ele através do arrependimento, como no clamor de Pedro: “Senhor, salva-nos pois perecemos!” Então nos será mais fácil, como filhos de Deus, como o povo de Deus, como irmãos e irmãs, estabelecer a boa vontade e a paz entre nós.

O que vemos no mundo moderno? Vemos que as pessoas e as nações se afastaram de Deus. Mas não apenas de Deus, mas também entre si, pois uma coisa leva a outra. Vemos que o Nome Salvador de Deus e o próprio Deus são mais profanados do que glorificados e invocados. Vemos que o maior pecado – matar um homem e toda uma comunidade humana – cresce diariamente e com frequência em nome de Deus. Para uma mente racional e normal, isto é incompreensível. Perguntamo-nos: por acaso é possível que alguém, pronunciando o nome de Deus, mate crianças, mulheres, prisioneiros e exilados, todos inocentes? Em nome de qual Deus fazem isso? Em nome de qual religião? Devido a essas depravações pseudorreligiosas sentimos medo e a ausência de paz no mundo. Esse sentimento não é outra coisa senão fruto do ateísmo ativo de pessoas pseudorreligiosas. Irmãos e irmãs e queridos filhos espirituais, nós os convocamos, em nome de Deus, em nome do recém-nascido Cristo Nosso Senhor, a protegerem a si mesmos e nossa nação de toda e qualquer blasfêmia contra Deus e também dos pecados. Se o Senhor veio até nós para salvar-nos dos pecados, para restabelecer nosso vínculo inicial com Ele e conceder-nos a vida eterna, como ousa um homem retirar de outro o divino dom da vida, seja no útero de uma mulher ou aqui na Terra?
Sem uma paz verdadeira com Deus é impossível a paz entre os irmãos e a boa vontade entre pessoas e nações. Sabendo disso, meus irmãos e irmãs e queridos filhos espirituais, nós os convidamos a uma reconciliação com nosso Deus. Vamos clamar a Ele como fez o filho pródigo na parábola do Evangelho e Ele nos receberá de braços abertos!

Em vez da boa vontade entre os homens e o amor entre as pessoas e as nações, estamos assistindo a uma explosão mundial de egoísmo, inveja, antagonismo, além de um crescimento do vício, o que é motivo de preocupação, medo e ansiedade em relação ao futuro deste mundo. Devemos dirigir nossa oração ao Divino Menino Jesus para que Ele conceda sabedoria e bondade, amor e paz àqueles que governam os povos de todo o mundo, para que o mundo seja salvo dessa profunda crise moral e existencial!

Nesta alegria festiva, saudamos a todos vocês, nossos filhos e filhas espirituais, irmãos e irmãs seguidores de São Sava em todo o mundo, em nossa pátria ou no exterior.

Nós os saudamos e os exortamos A reconciliar-vos com Deus e uns com os outros, e sejamos filhos de Deus e o povo de Deus! Manifestemos boa vontade entre nós e as pessoas que nos rodeiam! Por meio dessa boa vontade entre as pessoas seremos luz do mundo e sal da terra! Devemos viver de maneira santa e correta, cumprir os mandamentos que nossos santos pais nos legaram para que possamos alcançar o Reino dos Céus!
Saudamos especialmente a nossos irmãos e irmãs em nosso martirizado Kosovo e Metohija – nosso berço espiritual. Rogamos ao Menino Jesus que espiritual e divinamente, como a Daniel e aos jovens santos da Babilônia, encoraje-os e fortaleça-os no compromisso de permanecerem fiéis ao testamento de nossos antepassados. Clamamos a todos os exilados e perseguidos de nossa santa terra sérvia, assim como a todos os exilados e perseguidos de seus lares ancestrais, de Dalmácia, Lika, Eslavônia, Baranja, Banija e Kordun, assim como de várias partes da Bósnia e Herzegóvina, que façam o possível para retornarem aos seus lares ancestrais, para que possam restaurá-los, melhorá-los e preservá-los para as gerações futuras.
Seria um grande pecado mencionar apenas os pobres, os refugiados e as vítimas do povo sérvio, e não recordar dos pobres, dos refugiados e das vítimas de outras nações e países, não importa qual religião professem, especialmente nossos irmãos e irmãs no Oriente Médio, na Ucrânia e na África, sobretudo nestes santos e benditos dias em que celebramos o nascimento da maior Vítima, do mais Perseguido na história, o Deus-Homem Jesus Cristo, o Vencedor sobre o mal, a morte e Satanás. Recordemos deles em nossas orações e que possamos ajudá-los o máximo que pudermos.

Queridos filhos espirituais: independentemente de onde vivemos ou trabalhamos, seja na pátria ou na diáspora, somos uma nação cristã, ortodoxa e seguidora de São Sava, uma nação que concedeu à Natividade e ao seu ethos uma forma especial e única. A Natividade está em nossos corações e em nossas almas. Celebrando a Natividade com alegria e paz, com todos e com cada um, aprendemos a santidade da vida e o temor a Deus. Com a saudação A paz de Deus – Cristo nasceu e a resposta em verdade nasceu, formamo-nos como um povo da paz de Deus e de Sua boa vontade, este é o nosso grande capital espiritual. Devemos multiplicá-lo através de uma celebração santa e correta desta grande festa! A Natividade nos educou em tudo que é santo, honrável e agradável ao amado Deus. Sabendo disto, uma vez mais vos exortamos: preservemos a unidade da fé e da Igreja de São Sava, assim como também a santidade dessa festa natalina como um tesouro precioso! Não permitam que nada nos divida por qualquer razão! A Igreja Ortodoxa Sérvia foi, é e será a guardiã de nossa unidade espiritual e nacional! Em nome dela vos saudamos com a alegre saudação da Natividade:

A PAZ DE DEUS! CRISTO NASCEU!
EM VERDADE ELE NASCEU!

E um abençoado ano de 2016!

Natividade de 2015

Vossos intercessores diante do berço do Menino Jesus:

IRINEU, Arcebispo de Pec,
Metropolita de Belgrado e Karlovac,
Patriarca Sérvio

Junto com todos os Metropolitas, Arcebispos e Bispos da Igreja Ortodoxa Sérvia

Novidades